Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.
Vendas: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

14. Espinheiro-Negro (Straiph/Blackthorn = Z)

Publicado por Rowena em 24/10/2012 (3616 leituras)

O Espinheiro Negro representa mudança de percepção, provações e proteção. Simboliza a força e o poder que está em você. Aceite o inevitável e prossiga!

Z (St, Ts, Ss), Straiph

>-////-<

O Espinheiro-Negro - A Árvore da Punição

Como se diz: stráf
Tradução: enxofre
Nome científico: Prunus spinosa
Irlandês antigo: draighin
Galês: draenen ddu
Inglês: blackthorn
Significados básicos: luta, negação, sacrifício
Classe: chefe
Cor: sorcha, “uma cor brilhante”



Bríatharogaim:

Bríatharogam Maic ind Óc
Straiph: mórad rún, “aumento de segredos”

Bríatharogam Con Culainn
Straiph: saigid nél, “busca de nuvens”

Bríatharogam Morainn mac Moín
Straiph: tressam rúamnai, “vermelhão mais forte”

Comentários:

O espinheiro-negro é um grande arbusto que cresce em densas moitas eriçadas de afiados espinhos. Os retorcidos ramos não são uma madeira muito apropriada como combustível ou para a marcenaria, embora possam ser usados como inconfundíveis cajados ou clavas (é a madeira tradicional para o shilelagh irlandês). As bagas purpúreas podem ser usadas no fabrico de uma forte tinta vermelha.

Algumas das imagens associadas a Straiph nos bríatharogaim claramente se referem às propriedades físicas da própria planta: sua habilidade para formar uma densa cerca e o forte corante obtido de suas bagas. Essas mesmas imagens apontam para um significado simbólico ligado à morte, especialmente à morte em batalha. A tinta vermelha, é claro, representa o sangue e o metal manchado de vermelho é a espada ou lança tingida de sangue.

Há um bom elemento de sacrifício nas imagens sugeridas por Straiph. Não se trata de morte por infortúnio, ou numa briga particular, mas de uma morte sacrificial pelo bem do clã. Numa cultura guerreira, não haveria maior honra que um fim como esse.

Você poderia escolher Straiph como seu emblema se estiver procurando coragem para assumir riscos e fazer sacrifícios em favor de uma pessoa, grupo, crença ou causa que considere importante. O risco que você assumir não tem de envolver o perigo de literal morte física. Você pode invocar Straiph sempre que quiser dar algo sem reservas, nada esperando em troca, sem se importar com as conseqüências.

Sagragnos: o Destino. Straiph é o espinheiro-negro, o destino que somos incapazes de evitar, que não temos o poder de impedir. O que permanece sob nosso controle é a compreensão da natureza inflexível desse destino e nossa resposta a ele. Pode ser nosso o conhecimento do bem e do mal, a consciência de quando não é bom insistir num determinado curso de ação, de quando seria melhor deixarmos o barco em segurança no porto enquanto o ciclone atravessa o mar e de quando a honra e o dever nos chamam para fazer face a um inimigo invencível. Usualmente, nossa escolha é aceitar a mudança inevitável e continuarmos, de alguma forma, com saúde, com criatividade, com imaginação, a viver, ter sucesso, embelezar a existência dentro do novo ambiente. Entre os aspectos inevitáveis da vida podem estar a doença, o envelhecimento e a morte.

Mesmo aqui, você pode escolher viver tão bem quanto seja possível dentro das circunstâncias em que se encontrar. Muitas pessoas que envelhecem estão realizando muitas coisas que, em sua juventude, podem não ter sido possíveis. O mesmo se dá em outras circunstâncias, tais como a perda de um amor ou de um emprego. Muitas vezes, é possível conquistar um grande êxito dentro de condições que pareciam, à primeira vista, devastadoras.

Coslogenos: dor, amargura, ódio, ressentimento, ciúme, uma ferida que desfigura e envenena a alma. Invertida: ferocidade na defesa de pessoas queridas.

Coirí Filidechta - Os Caldeirões da Poesia:

Coire Goiriath (Caldeirão do Aquecimento), físico: mudança inesperada, planos alterados ou arruinados. Ainda que desagradável, não há escolha. Os eventos assumem o controle, levando você a um caminho que não poderá evitar. Tome coragem, os problemas devem ser enfrentados, as decisões são inevitáveis.

Coire Érmai (Caldeirão do Movimento), emocional/mental: sua visão negativa, agarrada a velhos caminhos e encarando os desafios com raiva e teimosia, irá apenas tornar tudo pior e machucá-lo mais. Aceite as mudanças e prossiga.

Coire Sois (Caldeirão da Sabedoria), espiritual: compreenda que você e sua vida mudaram radicalmente. Entre renascido nesse novo período.

Por Bellovesos /|\

Bellouesus Isarnos
Assim, considera-te recepcionado, com meus votos de encontrares aqui algo que desperte teu interesse ou, na pior das hipóteses, não te entedie.

Bellodunon:
www.bellodunon.wordpress.com
Nemeton Beleni:
www.nemetonbeleni.wordpress.com
Scribd:
http://pt.scribd.com/Bellovesos

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Artigo prévio 13. Junco (nGétal/Reed = nG) 15. Sabugueiro (Ruis/Elder = R) Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Artigos do Site
Para o proveito daqueles que não estão familiarizados com o que fazemos na ordem ADF - Ár nDraíocht Féin, permitam-me explicar rapidamente nossa cosmologia e o que esperamos alcançar em nosso ritual.
O Ogham é um alfabeto oracular, de origem celta, encontrado na Irlanda e Grã-Bretanha. O nome das letras ogâmicas é "fid" (singular) e "feda" (plural) em irlandês antigo. No irlandês moderno são: "fiodh" e "feadha" - que são palavras traduzidas como "madeira" e "bosque".
A meditação é fundamental ao autoconhecimento, no aprofundamento do caminho druídico e no contato com o divino, para alcançarmos o equilíbrio físico, mental e espiritual.

Go raibh maith agat... Obrigado!