Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.

Informações: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

Lugh, o brilhante!

Publicado por Rowena em 28/1/2012 (4350 leituras)

Lugh o Deus dos ferreiros e das múltiplas habilidades.

O Deus a quem os celtas continentais chamam de Lugus ou Lug e os insulares de Lugh, é um dos melhores documentados pelos historiadores e mais bem compreendidos dentre as divindades celtas. As provas incluem a iconografia do período pré-romano, testemunhos de escritores e historiadores greco-romanos, tradições literárias da cultura celta na Idade Média, narrativas populares modernas em línguas celtas e práticas de rituais, conservadas, principalmente, em comunidades rurais.

A sua origem é mista, pois pertence ao ramo das Tuatha Dé Danann pelo lado do pai, Cian, e aos Fomorianos pelo lado materno, Ethniu. Uma profecia dizia que Balor, o do olho malévolo, seria morto por seu neto, o que se concretiza na Segunda Batalha de Magh Tuiredh (Moytura). Para tentar evitar esse destino, Balor mandou dar fim nos netos, mas Lugh sobreviveu e foi criado por Tailtiu, conforme o Lebor, após a morte dela, Lugh ficou aos cuidados de Manannán sob o sistema de "fosterage" (tutela).

By Ingrid GrayWolfEm Lughnasadh (Lúnasa) celebramos a festa da primeira colheita. Lugh ficou conhecido pela alcunha de "Lámfada" - dos braços longos - e "Samildanach" - múltiplo artesão. É o Deus dos ferreiros, cujo domínio incluía a magia, as artes e todos os ofícios em geral, o Senhor dos mil talentos. Lugh, o Brilhante!

Em toda a Irlanda e em muitas outras partes do mundo celta, a celebração de Lughnasadh ou de qualquer outra festa da colheita, está centrada nos primeiros frutos de plantas cultivadas, que eram levados para uma local para serem abençoados e compartilhados pela comunidade, em honra a soberania da terra, representada pela mãe adotiva de Lugh, Tailtiu.

Lughnasadh era uma ocasião de paz entre as tribos, na qual as questões jurídicas eram resolvidas e os problemas políticos discutidos; artesãos, artistas e animadores tinham a chance de mostrar seus talentos, além de participar de eventos esportivos e jogos de tabuleiros (fidschel) em homenagem à Tailtiu. Essa festividade foi conhecida como Oenach na Tailtiu.

"O grande festival da colheita de Lugnasad é considerado o ponto alto do ano sazonal e foi celebrado em toda Ériu em cerca de 180 localidades diferentes. Vários historiadores, tradicionalistas e folcloristas acreditam que esse festival seja somente o resto de uma antiga celebração em honra de Crom Dubh ou Crom Cruach, com o qual é geralmente identificado. Uma deidade dispensadora de abundância. Nos contos encontrados no Ciclo Mitológico, embora grandes batalhas tenham ocorrido ali, é mais notada como o local do Círculo de Crom Cruach (Crom Crúaich, Cenn Cruaich, Cend Crúaich, Cenn Cróich, Cenn Croth Cromm Cruaich ou Crom-eocha, de acordo com Vallencey). Esse círculo sagrado de pedras era composto por doze rochas e um pilar central que se acreditava representar Crom Cruach, supostamente coberto de ouro e prata. Esse local foi no passado um importante centro das celebrações de Lugnasad até São Patrício, supostamente, partir o pilar em seu esforço para extirpar a adoração pagã em Ériu. A Dindsenchas (versão métrica) explica: "É a ele que costumavam sacrificar os primeiros nascidos ("cétgein") de cada prole e os primogênitos ("prímgein"), com a finalidade de assegurar um bom clima e o suprimento anual de grãos e leite, além da fertilidade do gado.

A Dindsenchas, também, explica que Lugh instituiu o festival de Lugnasad em honra de Tailtiu, deusa irlandesa dos grãos ou da colheita, talvez uma deusa solar no passado, sua mãe adotiva. Tailtin, que dela recebeu o nome, era o local original do mais importante Lugnasad de Ériu. A assembleia antiga chamava-se "Áenach Tailteann", e até os tempos históricos, foi famosa por seus casamentos, especialmente, os de "um ano e um dia". Por Bellovesos Isarnos.

Além disso, Lughnasadh é marcado por um período quente com tempestades e chuvas abundantes. O Sol, neste caso, representaria o olho ardente de Balor e a lança de Lugh se tornaria a arma necessária para dominar o seu poder, onde o intenso calor do verão, poderia colocar em perigo as colheitas.

Mas em termos práticos, o prêmio da batalha, é claro, a colheita, o fruto do ciclo agrícola e todo o significado do mito só pode ser entendido no contexto ritual da festa da colheita de Lughnasadh, a própria festa de Lugh e toda a sua simbologia. Descrito nos textos de Alexei Kondratiev.

Uma boa colheita a todos!

Fonte de pesquisa:
Mythical Ireland: Lugus por Alexei Kondratiev
Shee-eire - Magic & mythology: Deuses e Deusas Celtas
Templo de Avalon - Caer Siddi: Tuatha Dé Danann - Mitos e lendas

Leia também: Sugestão para celebrar Lughnasadh

Rowena Arnehoy Seneween ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com
E-mail:
rowena@templodeavalon.com

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Artigo prévio Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.


Go raibh maith agat... Obrigado!