Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.
Vendas: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

Visualização dos Ciclos Lunares

Publicado por Rowena em 12/6/2012 (3201 leituras)

Essa é uma sugestão pessoal para ser realizada durante o mês e visa trabalhar os ciclos lunares, dentro de nossos ciclos pessoais em conformidade aos trabalhos meditativos do Caer Siddi.

Comece com uma meditação simples e, em seguida, faça a visualização dos seguintes elementos:



Imprima o gráfico acima (para facilitar a visualização) e coloque o seu nome no centro ou firme uma vela.

A cada novo ciclo lunar iremos mentalizar ou visualizar um símbolo, como está na imagem acima, ligado ao Druidismo e à Cultura Celta, com o objetivo de expandir a nossa consciência.

Vamos começar com a Lua Minguante, a chave para "limpar" e curar as energias com o símbolo do Ogham Luis que rege a proteção e a riqueza: "Luis é a sorveira, o abrir dos olhos, olhando atentamente o que está ao redor, percebendo as possibilidades de toda a realidade próxima. É a percepção do que está ali. É a guardiã vigilante em posição na entrada da mente, do coração. É o vigia iluminando a noite com luz de tochas. É o estado alerta que ajuda a garantir a segurança da cidade ou de si mesmo, um castelo de bem-estar para o indivíduo e para o grupo." - Bellovesos Isarnos.

Com a entrada da Lua Nova, vamos trabalhar a expansão da alma com o Triskel, que rege os Três Reinos Celtas: Céu, Terra e Mar.

Na Lua Crescente, vamos visualizar o Caldeirão da Abundância que está presente em muitos mitos celtas e, neste caso, será regido por Dagda que, no folclore irlandês, era chamado de "O Bom Deus" e possuía todas as habilidades e conhecimentos, sendo bom (hábil) em tudo.

E, na Lua Cheia, visualizaremos o Triban, o símbolo da Awen que, para os povos galeses, era a inspiração divina, o fluir da plenitude e o caminho da iluminação interior.

Os símbolos são forças ancestrais que, inconscientemente, nos conectam ao Outro Mundo, onde poderemos acessar as várias possibilidades de crescimento e o poder da nossa verdadeira essência.

"Toda a existência está baseada em ritmos cíclicos, por certo a psique humana necessite experimentá-los. Cada lunação imita, em miniatura, o padrão do ano solar." - Alexei Kondratiev.

Que assim seja!

Grupo de Estudos Caer Siddi



Rowena Arnehoy Seneween ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com
E-mail:
rowena@templodeavalon.com

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Meditação com os Elementos do Corpo Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Artigos do Site
Para o proveito daqueles que não estão familiarizados com o que fazemos na ordem ADF - Ár nDraíocht Féin, permitam-me explicar rapidamente nossa cosmologia e o que esperamos alcançar em nosso ritual.
O Ogham é um alfabeto oracular, de origem celta, encontrado na Irlanda e Grã-Bretanha. O nome das letras ogâmicas é "fid" (singular) e "feda" (plural) em irlandês antigo. No irlandês moderno são: "fiodh" e "feadha" - que são palavras traduzidas como "madeira" e "bosque".
A meditação é fundamental ao autoconhecimento, no aprofundamento do caminho druídico e no contato com o divino, para alcançarmos o equilíbrio físico, mental e espiritual.

Go raibh maith agat... Obrigado!