Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.
Vendas: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

3. Amieiro (Fearn/Alder = F)

Publicado por Rowena em 23/10/2012 (3894 leituras)

O Amieiro simboliza proteção oracular, a árvore encantada. O guerreiro que nos inspira em momentos de batalha e prevê o melhor caminho a seguir.

F, V - Fearn

>-,,,-

O Amieiro

Como se diz: fiarn
Tradução: amieiro
Nome científico: Alnus glutinosa
Irlandês antigo: fearn
Galês: gwernen
Inglês: alder
Significado básico: orientação
Classe: chefe
Cor: flann, “vermelho-sangue”



Bríatharogaim:

Bríatharogam Maic ind Óc
Fern: comét lachta, "vasilha do leite"

Bríatharogam Con Culainn
Fern: dín cridi, "proteção do coração"

Bríatharogam Morainn mac Moín
Fern: airenach fían, "vanguarda de guerreiros"

Comentários:

Ao ser cortada, a madeira do amieiro apresenta uma forte cor vermelha e uma tintura vermelha pode ser feita com as suas folhas e casca. A sugestão de sangue, combinada à dureza da madeira, tornou-a uma escolha natural para os escudos que protegiam os antigos guerreiros irlandeses em batalha.

Fearn é um emblema da proteção em todos os agitados e perigosos acontecimentos da vida. Você pode invocar seu espírito sempre que o perigo o ameaçar no corpo, na mente ou no espírito. O poder de Fern defende poetas e contadores de histórias dos demônios que habitam na imaginação, assim como o duro escudo de madeira protege o coração vulnerável do guerreiro.

Fearn mostra uma ligação também com Bran, o Abençoado. Na introdução de A Batalha das Árvores, o bardo Taliesin diz:

Estas são as estrofes que foram cantadas na Batalha das Árvores, ou, como outros a chamam, a Batalha de Achren, que foi por causa de uma corça branca e de um cachorro; e eles vieram do Inferno e Amaethon ap Don os trouxe.

E, portanto, Amaethon ap Don e Arawn, Rei de Annwn, lutaram. E havia um homem nessa batalha, a menos que seu nome fosse conhecido, ele não poderia ser vencido; e havia uma mulher chamada Achren no outro lado e, a menos que seu nome fosse descoberto, sua hoste não poderia ser vencida. E Gwydion adivinhou o nome do homem e cantou as duas estrofes seguintes:

De cascos firmes é meu corcel impelido pelas esporas;
Os altos galhos do amieiro estão em teu escudo;
Bran és chamado, dos ramos brilhantes.

E, assim:

De cascos firmes é meu corcel no dia da batalha,
Os altos ramos do amieiro estão em tua mão:
Bran, pelo ramo que carregas,
Amaethon, o bom, prevaleceu.

No Segundo Ramo do Mabinogion, encontramos a seguinte referência:

Bendigeid Fran chegou a terra e a frota com ele pela margem do rio.

- Senhor - disseram os capitães -, conheceis a natureza deste rio, que nada pode atravessá-lo e que não há ponte sobre ele?

- Não há nenhuma - replicou o rei -, exceto que aquele que será o chefe, deixai-o ser uma ponte. Eu o serei.

Então, foi essa declaração proferida pela primeira vez e é ainda usada como provérbio. Quando ele se deitou atravessando o rio, tábuas foram colocadas sobre ele e o exército passou por cima.

Sagragnos: o Avanço. Fearn é o amieiro, determinação, o passo corajoso para diante, o avanço audaz sobre quaisquer obstáculos que possam estar à frente. No meio da batalha, do conflito, da disputa, da competição. Este é o escudo da proteção que permite a marcha progressiva seguindo os estandartes da eqüidade, do dever, da responsabilidade em direção à vitória.

Deixando o porto e enfrentando o mar desconhecido, este é o navio destemido a singrar o oceano, mesmo sob as mais ferozes tempestades, apesar de qualquer coisa que possa jazer nas profundezas, não importando qual seja a duração da viagem. O marinheiro ousado no mar da vida regozija-se com o firme amieiro apoiando a embarcação.

Outros aspectos deste caractere incluem a possibilidade de que haja perigo. Podem-se considerar circunstâncias que determinem de onde pode surgir o perigo e de que forma este pode ser afastado antes do surgimento de sérias contendas.

Coslogenos: proteção, amparo, olho vigilante, necessidade de precaução. Invertida: sacrifícios pessoais em benefício de outros, pontes, ligações entre mundos ou grupos.

Coirí Filidechta - Os Caldeirões da Poesia:

Coir Goiriath (Caldeirão do Aquecimento), físico: fique consciente de que você e os outros são criaturas únicas. Se houver a menor possibilidade, mantenha seus olhos abertos para ver o incomum e reconhecer o que se encontra nos outros

Coire Érmai (Caldeirão do Movimento), emocional/mental: você usará algo que previamente não notou. Habilidades oraculares não são fáceis de reconhecer. A mente às vezes está relutante para lidar com a parte intuitiva

Coire Sois (Caldeirão da Sabedoria), espiritual: você oferece auxílio espiritual e proteção numa disputa. Deixe sua intuição guiá-lo.

Por Bellovesos /|\

Bellouesus Isarnos
Assim, considera-te recepcionado, com meus votos de encontrares aqui algo que desperte teu interesse ou, na pior das hipóteses, não te entedie.

Bellodunon:
www.bellodunon.wordpress.com
Nemeton Beleni:
www.nemetonbeleni.wordpress.com
Scribd:
http://pt.scribd.com/Bellovesos

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Artigo prévio 2. Sorveira (Luis/Rowan = L) 4. Salgueiro (Sail/Willow = S) Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Artigos do Site
Para o proveito daqueles que não estão familiarizados com o que fazemos na ordem ADF - Ár nDraíocht Féin, permitam-me explicar rapidamente nossa cosmologia e o que esperamos alcançar em nosso ritual.
O Ogham é um alfabeto oracular, de origem celta, encontrado na Irlanda e Grã-Bretanha. O nome das letras ogâmicas é "fid" (singular) e "feda" (plural) em irlandês antigo. No irlandês moderno são: "fiodh" e "feadha" - que são palavras traduzidas como "madeira" e "bosque".
A meditação é fundamental ao autoconhecimento, no aprofundamento do caminho druídico e no contato com o divino, para alcançarmos o equilíbrio físico, mental e espiritual.

Go raibh maith agat... Obrigado!