Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.
Vendas: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

6. Espinheiro-Branco (hÚath/Hawthorn = H)

Publicado por Rowena em 23/10/2012 (2733 leituras)

O Espinheiro-Branco simboliza clarividência, pausa e purificação. Dedicado à sátira, essa árvore também é conhecida pelo nome de Pilriteiro, associada à energia feérica e fertilidade.

Aicme hÚatha: H, hÚath

>-'-<

O Espinheiro-Branco

A Cailleach
Como se diz: húa
Tradução: horror, medo
Nome científico: Crataegus monogyna
Irlandês antigo: úath
Galês: draenen wen
Inglês: hawthorn (whitethorn)
Significados básicos: purificação, tormento, zombaria
Classe: camponês
Cor: úath, “terrível” (possivelmente, cinza esverdeado como a carne apodrecendo, ou a cor de ferimentos profundos).



Bríatharogaim:

Bríatharogam Maic ind Óc
hÚath: bánad gnúise, “empalidecer de faces”

Bríatharogam Con Culainn
hÚath: ansam aidche, “mais difícil à noite”

Bríatharogam Morainn mac Moín
hÚath: condál cúan, “assembleia de matilhas”

Comentários:

O espinheiro forma um denso cercado de ramos retorcidos, cobertos por espinhos duros e afiados. Atravessar uma moita de espinheiros não seria uma experiência agradável. A lenda diz que um monte ou colina encimada por uma emaranhada moita de espinheiros é um lugar de encontro das Fadas, perturbe-o por sua própria conta e risco!

Os perigos de hÚath não são os grandes e terríveis trovões enviados pelos Deuses – são os pequenos e enlouquecedores dardos infligidos pelas Fadas. Eles não matam como o corte de uma espada, mas espetam como mil espinhos. Eles o distraem, mordem-no como uma matilha de cães e o mantêm acordado à noite. Eles o levam ao limite, tentam sua paciência e envolvem-no em disputas sem sentidos com seus amigos.

Na antiga sociedade irlandesa, hÚath era associada a um tipo particular de poesia: a sátira, ou verso devotado a zombar de indivíduos ou de características individuais. Numa sociedade guerreira, em que o orgulho era uma posse preciosa e a honra mais valorizada do que a vida, a sátira era uma arma temível.

Você pode escolher hÚath como sua protetora se encontrar-se numa situação ridícula: sem dignidade, envergonhado, ou apenas parecendo um idiota. Ela o lembrará de que o senso de humor pode ser um poderoso recurso defensivo. A sátira ganha sua força do orgulho de sua vítima. Se você sorrir e não der importância, lembrando-se de que tudo vai passar, emergirá ileso de seu encontro com hÚath.

Em A Batalha das Árvores, o bardo Taliesin refere-se ao espinheiro:

O Espinheiro, cercado de ferrões,
Com a dor em sua mão.

Sagragnos: o Refúgio. H-Úath é o espinheiro-branco, é repouso, descanso, um abrigo. É a pausa para tomar fôlego depois de um esforço. É respirar enquanto se olha da sacada para o que está embaixo. Atrás das muralhas do castelo, talvez seja possível perceber o que levou alguém para dentro. Agora é o tempo para reunir forças antes de aventurar-se outra vez no exterior. É o momento para o treinamento e a disciplina, para praticar as artes e habilidades de que precisaremos ao emergirmos novamente para nossa jornada, apesar de todas as forças que possam surgir como obstáculos no caminho. É o tempo de relaxar. Esta é a casa de descanso, o caramanchão ao fim de um dia de dura jornada. É o consolo que conforta. É o alívio dos perigos e dificuldades que foram superados. Mesmo que você se sinta profundamente ferido, pode sentir-se agradecido por sua vida e pela oportunidade de repousar, recuperar-se e restaurar sua saúde, adquirindo o que será preciso para o restante da viagem pela vida. hÚath é o calor do fogo da lareira ao final de um dia de trabalho, de um dia de luta. Talvez os Deuses estejam conosco pela manhã.

Coslogenos: fertilidade, sexualidade feminina, território, refreamento, contenção, inclusão, envolvimento. Invertida: defesa da propriedade ou da pessoa, medo, afugentar outras pessoas.

Coirí Filidechta - Os Caldeirões da Poesia:

Coire Goiriath (Caldeirão do Aquecimento), físico: você precisa trabalhar sua própria condição física. Para melhorar, deve alimentar-se adequadamente, não fumar e evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, além do uso de drogas. Um corpo saudável pode ser obtido com dieta e exercício. Um corpo saudável significa uma mente saudável.

Coire Érmai (Caldeirão do Movimento), emocional/mental: afaste de sua mente as vendas auto-impostas da ignorância e dos fatos falsos. Liberte seus pensamentos e limpe sua mente.

Coire Sois (Caldeirão da Sabedoria), espiritual: por mais quente que seja o problema, a forja se aquecerá para superá-lo, criando em seu espírito forças novas e inesperadas.

Por Bellovesos /|\

Bellouesus Isarnos
Assim, considera-te recepcionado, com meus votos de encontrares aqui algo que desperte teu interesse ou, na pior das hipóteses, não te entedie.

Bellodunon:
www.bellodunon.wordpress.com
Nemeton Beleni:
www.nemetonbeleni.wordpress.com
Scribd:
http://pt.scribd.com/Bellovesos

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Artigo prévio 5. Freixo (Nion/Ash = N) 7. Carvalho (Duir/Oak = D) Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Artigos do Site
Para o proveito daqueles que não estão familiarizados com o que fazemos na ordem ADF - Ár nDraíocht Féin, permitam-me explicar rapidamente nossa cosmologia e o que esperamos alcançar em nosso ritual.
O Ogham é um alfabeto oracular, de origem celta, encontrado na Irlanda e Grã-Bretanha. O nome das letras ogâmicas é "fid" (singular) e "feda" (plural) em irlandês antigo. No irlandês moderno são: "fiodh" e "feadha" - que são palavras traduzidas como "madeira" e "bosque".
A meditação é fundamental ao autoconhecimento, no aprofundamento do caminho druídico e no contato com o divino, para alcançarmos o equilíbrio físico, mental e espiritual.

Go raibh maith agat... Obrigado!