Início Login     

Mulher e o Poder da Criação

Enviado em 27/08/2011 (3268 leituras)

"Todas ns temos anseio pelo que selvagem. Existem poucos antdotos aceitos por nossa cultura para esse desejo ardente. Ensinaram-nos a ter vergonha desse tipo de aspirao. Deixamos crescer o cabelo e o usamos para esconder nossos sentimentos. No entanto, o espectro da Mulher Selvagem ainda nos espreita de dia e de noite. No importa onde estejamos a sombra que corre atrs de ns tem decididamente quatro patas. " Clarissa Pinkola Ests - Mulheres que correm com os lobos.

Expressando os Sentimentos

Mulher intuitiva por natureza, muitas esto se Reconectando e resgatando a verdadeira essncia do que ser mulher. Honrar s fases que pertencemos e que nos tornam naturais, especiais, meninas, moas, mes e na mais repleta fase, aquela que nos aconselha e que nos acolhe... A anci.

Mas o que ser mulher nos tempos atuais? continuar lutando ao conquistar um espao, alm de ser reconhecida, respeitada e admirada como mulher sagrada, intuitiva e que d a vida atravs do seu ventre.

Em determinadas pocas e religies, as mulheres foram taxadas como smbolo do pecado e tentao, precisando provar a constantemente sua capacidade. Aquela que precisava reprimir os sentimentos e esconder a sua feminilidade, porque assim lhes foram impostas. Mais o que aconteceu? O que mudou?

Aconteceu que em determinado tempo, a sociedade nos colocou em segundo plano, onde a nossa imagem era apenas cpia e o poder da criao um ser masculino e onipotente. Desde ento, comearam a surgir os primeiros efeitos dessa triste realidade.

Algumas mulheres esqueceram-se de usar o que lhe foi concedido naturalmente, se esquecendo da prpria essncia e se permitindo passar por algumas situaes constrangedoras, desrespeitando a si prpria.


No mito cristo, Eva foi expulsa do paraso porque comeu uma ma e assim nos fizeram acreditar no "pecado" induzido por uma serpente do "mal".

Mulher = pecado (Natureza)
Ma = proibido (Avalon, Outro Mundo)
Serpente = traio (Sabedoria)

Smbolos deturpados de uma sabedoria antiga!

O Poder

Somos o poder da criao e da gestao, que nos foi concedido. O poder de procriar, de dar luz para uma nova vida e com o mesmo, a vida continuar.

Em vivncia somos o que se chama de poder? Sim, mais em tempos como o nosso ainda precisamos conquistar, resgatar e nos curar.

Somos a vida e tudo o que ela representa, e se um dia deixarmos de existir, simplesmente, no existir mais a vida.

O poder da vida simples, feminino, o masculino essencial e ao mesmo tempo difcil de ser compreendido por queles que o ocultam.

A Criao

Um ato e ao mesmo tempo uma realidade, conquistas baseadas no amor, leveza e inspirao que vem do fundo da nossa alma, manifestado em terras visveis e frteis. Porque sempre existiu esse princpio ao qual deve ser sempre respeitado.

Somos parte da criao, em nossas veias correm o amor em essncia. Criar um ato verdadeiro e nobre. Ento, se assim permitido o nosso dever viver sempre na verdade. Aquela verdade que nos faz sentir a liberdade, o amor, a paz e a intuio. Sabendo que a sua verdade apenas sua, porm tem um significado enorme na vida de cada um, nos tornando melhores e cada vez mais capazes de respeitar o mundo, principalmente, as pessoas que esto a nossa volta.

Danar e Despertar

Somos mulheres aquelas que sero lembradas em todos os tempos, culturas e dcadas... Atravs dos nossos ancestrais.

O poder da criao, o respirar, a continuidade de mais uma vida!

O poder mpar e sem competio.

A certeza que reflete os nossos sentimentos verdadeiros.

A guerreira em batalha! s vezes, derrotas por dentro, compreendendo a essncia e os valores adormecidos... Mulheres e os ciclos naturais. O resgate dos conhecimentos antigos.

A arte que nos inspira, uma mulher em busca da sua liberdade e o encontro com o EU. Buscamos em ns as mais ocultas sensaes e lembranas. Mulheres danantes... Nossos ps saem do cho, movimentos que se fundem natureza e nos envolve com os seus encantos.

A dana permite a entrega dos sonhos, desejos mais profundos. A msica e a dana ancestral que nos levam ao transe natural. Danamos as nossas fases e os nossos ciclos um a um.


Ancestralidade feminina manifestaes dos sopros lunares. Ao danar enxergo o meu prprio corpo como o sagrado, um momento de totalidade... Danamos a criao, as Deusas e suas formas.

A dana cura a alma e nos nutre...

A dana nos transforma...

A dana nos fertiliza por dentro.

Bnos Plenas!

Por Lunna Alssah
Poetisa, Vocalista, Sacerdotisa da Terra e Danarina do Ventre.

Citao:
"A Mulher o Poder da Criao."
Alssah, Sacerdotisa da Terra
www.alessahceltic.blogspot.com

Para ler os artigos de Alssah Lunna, clique aqui.
Direitos Autorais

A violao de direitos autorais crime: Lei Federal n 9.610, de 19.02.98. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon : Caer Siddi e seus autores. Referncias bibliogrficas e endereos de sites consultados na pesquisa, clique aqui.

"Três velas que iluminam a escuridão:
Verdade, Natureza e Conhecimento." Tríade irlandesa.

Go raibh maith agat... Obrigada!
Rowena A. Senėwėen