Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.

Informações: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons


Mudando a Energia

Enviado em 28/12/2008 (3611 leituras)

É muito difícil, mudarmos a energia em que nos encontramos quando algo ruim nos acontece, quando estamos mal, preocupados, tristes. Mas não é impossível, e é o melhor a fazer, pois energia é tudo, ou melhor, é a base de tudo.

Aqui cabe bem os conhecimentos antigos que estão sendo veiculados atualmente para o mundo através de livros e filmes como "Quem Somos Nós?" e "O Segredo", que falam tanto sobre a Lei da Atração.

Esta Lei é algo há muito conhecido e nunca foi nenhuma novidade para aqueles que conhecem magia, alquimia, ocultismo e as filosofias herméticas.

O que pensamos atraímos, o que sentimos atraímos. Aliás, acho que o sentir é mais forte do que o pensar. Abrindo um parênteses sempre troquei o "Penso, Logo Existo" de Descartes, pelo "Sinto, Logo Existo".

Não adianta pensarmos e mentalizarmos que vamos resolver uma questão se sentimos dúvida, medo, ansiedade ou preocupação em relação a ela. Precisamos sentir a confiança que tudo dará certo.

Convenhamos que isto é muito difícil quando algum problema se apresenta para nós.

Recentemente, passei por uma situação onde senti uma "puxada de tapete" sob meus pés. Levei mesmo uma rasteira, uma punhalada pelas costas. Me senti extremamente triste, injustiçada, golpeada, sem falar na preocupação que a situação me trazia.

Neste dia desabei, chorei, externei a tristeza e a frustração que me acometiam. Perdi completamente a vontade de fazer qualquer coisa e fiquei em silêncio, quieta (depois de já ter desabafada com algumas pessoas).

Fiquei olhando para o vazio, sentindo a dor, a decepção, o luto. Isto é extremamente importante para a nossa saúde física e psíquica e não deve ser reprimido.

Porém, há uma linha bem tênue entre sentirmos a dor, o golpe, e ficarmos nos prolongando nela além da conta e entrando no papel de vítima.Fui vítima, sim, mas não iria me vitimizar.

No mesmo dia, quando fui dormir, à noite, fui até a janela e olhei o céu, que estava estrelado como há muito eu não via.

Comecei a comungar com as estrelas, com o Universo, com a Deusa e senti uma força muito grande em mim. Me senti confiante, segura, com a certeza que as coisas iriam melhorar muito. Pedi uma ajuda, um caminho e a sabedoria para reconhecê-lo e segui-lo (isto é muito importante).

Fui dormir bem, me sentindo fortalecida, inteira, centrada.

Na manhã seguinte acordei também bem, mas ao levantar da cama já me via a pensar em toda a situação problemática do dia anterior. A mente, como sempre, querendo passar de serva à senhora.

Geralmente temos tendência a isto, não é? Já acordamos pensando no problema em vez de deixarmos a nossa própria energia nos levar, nos conduzir. Já trazemos a carga pesada do problema, da dor.

Mudemos isto, por favor!!!

Esta atitude que cisma em pensar no problema, em trazê-lo de volta, em vez de respeitarmos o nosso estado de espírito original só serve para nos colocar num poço sem fundo e não permitir olharmos o brilho das estrelas que nos iluminam, e não esqueçam, o Sol também é uma estrela.

Munida desta consciência, parei logo de pensar no problema, até porque não tinha nada que eu pudesse fazer imediatamente, e resolvi me concentrar na energia da noite anterior. E não precisei fazer esforço nenhum para me ver e sentir mais leve, bem-humorada, e brincalhona.

Apreciei o dia, meu entusiasmo voltou e também minha alegria.

É nessas horas que não dá para deixar de pensar naquelas frases feitas e ditados como: "Nada como um dia após o outro". E também, "Depois da tempestade vem a bonança". Se ela não veio, ainda virá, está a caminho, tenho certeza disto!!!

Por Anna Leão
Escritora, dançarina, professora de dança e técnicas corporais.

Site Anna Leão:
http://www.annaleao.com.br
Blog Metamorfose:
http://www.annaleao.blogspot.com
E-mail:
anna@annaleao.com.br

Para ler os artigos de Anna Leão, clique aqui.
Direitos Autorais
A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Solicitações para reprodução devem ser feitas por e-mail. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Obrigado!

Comentários:

Fáilte... Cadastre-se para comentar | Login

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Go raibh maith agat... Obrigado!