Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.

Informações: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons


O Úlltimo refúgio dos Druidas

Enviado em 27/09/2010 (2647 leituras)

´´Colocou-se então uma guarnição nas casas dos vencidos e foram destruídas suas madeiras consagradas a cruéis superstições.´´ Assim narra o historiador latino Publius Cornelius Tacitus (55 - 120 d.C) em seu livro ´´Anais´´. Contando de maneira breve o que na prática levou a destruição da cidadela druida na ilha de Mona (atual Anglesey, no País de Gales) , onde bosques inteiros foram derrubados, casas queimadas, altares postos ao chão e druidas passados no fio da espada.

Numa tosca ironia do destino coube a um nascido em Lugdunum na Gália (atual Lyon na França), o então Imperador Cláudio (10 - 54 d.C), dar cabo do último refúgio dos druidas que desde do tempo do ainda Imperador Augusto ( 63 a.C - 14 d.C ) eram perseguidos sem trégua para cessarem suas atividades em domínio romano. Ao final, no apagar das chamas lá por volta do ano 43 d.C , o Imperador Cláudio tinha varrido do mapa os druidas e de lambuja conquistado a Bretanha para o Império Romano.

Não resta dúvida que alguns druidas devem ter sobrevivido a este massacre, só que a estes restou como alternativa migrarem em direção as ´províncias romanas rebeldes ´ de ´Caledônia´ e ´Hibérnia´ (Escócia e Irlanda que figuravam como lugares tão perigosos quanto de onde estavam fugindo já que prevalecia para aquelas paragens a lógica estreita tribal de que quem não fosse da ´´gens´´ não podia encontrar outro destino além da morte.

Assim, diria que provavelmente muitos druidas dos que escaparam da morte pelas mãos dos romanos na ilha de Mona atingiram seu fim certo no encontro de seus ´´irmãos celtas´´ lá na Escócia e Irlanda. Some a esta situação que cada morte de um druida, principalmente, os mais velhos, representava um cabedal enorme de conhecimento perdido definitivamente já que tudo era transmitido e mantido na base da tradição oral e terá noção da gravidade do que estava ocorrendo.

Agora, mesmo imaginado que hipoteticamente algum druida entre os mais ´´instruídos´´ tivesse logrado sobreviver a todas estas mazelas seria consideravelmente difícil dele encontrar pela frente novos discípulos para instruir seja pelo receio de cada tribo pelo ´´estranho´´ que lá chegava ou por falta mesmo de interessado já que viver na Escócia e Irlanda naqueles tempos não era tarefa nada fácil.

Quanto mais seria se deixasse um filho para ser druida quando podia ser mais um braço para lavrar nos campos, caçar e etc.

Lembrando que para formação de um druida se fazia necessário um preparo de quase uma vida inteira dedicada a estudos e não por menos as pessoas voltadas a perseguir este objetivo tinham que em algum grau serem ´´ bancadas´´ socialmente, isto é, não se podia esperar que nem pegassem em armas para defender a tribo numa batalha e tampouco que ficassem disponíveis para tarefas mais rotineiras de cultivo dos campos.

Em outros termos a tribo deveria ser de antemão bem próspera para que pudessem separar entre os seus alguns para serem druidas e dar-lhes condições de sustento.

Por tudo isto não considero possível conceber que houvesse ambiente propício para o druidismo manter-se pé depois da destruição de Mona e o que de qualquer maneira ´´sobreviveu´´ deteriorou-se na forma de superstições e mandingas, mas com certeza algo restou.

Sem exagero, os druidas (ou aqueles que arrogavam este título) ´´pós-Mona´´na Irlanda e Escócia em seus conhecimentos nem de longe faziam sombra do que representava o nível de erudição atingido pelos druidas graças ao contato que tiveram com a cultura greco-romana na Gália.

Por Ioldanach
Ioldanach se define como auto-didata e celtista amador que tem como linha de pesquisa tratar o assunto de maneira objetiva e da forma mais científica possível.

Blog Canal Celta:
www.celta.cjb.net
E-mail:
Lughnassa@gmail.com

Para ler os artigos de Ioldanach, clique aqui.
Direitos Autorais
A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Solicitações para reprodução devem ser feitas por e-mail. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Obrigado!

Comentários:

Fáilte... Cadastre-se para comentar | Login

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Zenart
Publicado: 30/11/2010 10:00  Atualizado: 30/11/2010 10:00
Usuário desde: 30/11/2010
Localidade:
Mensagens: 1
 Re: :: O último refúgio dos Druidas
Philip Carr-Gomm, chosen Chief of the Order of Bards, Ovates and Druids gives an insight into the Druid vision - The-druid-path video

Enviado por Tópico
Rowena
Publicado: 01/02/2011 12:41  Atualizado: 01/02/2011 12:41
Administrador
Usuário desde: 18/11/2007
Localidade: Caer Siddi
Mensagens: 245
Online!
 Hi, Zenart!
Philip Carr-Gomm is a great one Druir!

Go raibh maith agat... Obrigado!