Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.
Vendas: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

Sugestão para celebrar Samhain

Publicado por Rowena em 30/4/2010 (14536 leituras)

Para celebrarmos este novo ciclo, Samhain - a Noite Sagrada - sugerimos um ritual que poderá ser feito individualmente ou em grupo. Ressaltando que se trata de uma sugestão baseada no Druidismo com ênfase no Reconstrucionismo Celta.

Preparar o local onde será realizado o ritual. A música com inspiração celta é sempre bem-vinda. Coloque tudo que irá precisar por perto: três caldeirões, incensos, água, fósforos, álcool, oferendas, folhas secas, uma vela preta ou laranja.

Faça um círculo de pedras ou "Cromlech", representando o Bosque Sagrado ou um "Nemeton" (local sagrado). Defume o local e os participantes no sentido horário. Coloque os três caldeirões no centro do círculo de pedras.

No caldeirão da esquerda coloque água, no caldeirão do centro fixe a vela preta ou laranja, no caldeirão da direita reserve para fazer a queima das folhas secas e dos papéis, nos quais serão escritos, antes do início do ritual, tudo aquilo que queremos renovar ou eliminar de nossas vidas.

Em seguida, no centro do Bosque Sagrado, cruze os céus com os dedos, dizendo:

“De Norte a Sul, de Leste a Oeste... Iniciamos nossa jornada, abençoados pelo Céu, a Terra e o Mar. O Céu que está acima de nós e representa a luz do Sol; a Terra que está abaixo de nós e representa as raízes no solo e o Mar que está no horizonte e representa tudo aquilo que está dentro de nós. Estamos reunidos para honrar os Deuses, os espíritos da natureza e recordar nossos antepassados, através do Festival de Samhain. Que haja paz entre os mundos!”

Comece o ritual honrando a Mãe Terra, fazendo-lhe uma oferenda, que poderá ser um alimento, fruta, bebida, flores ou uma poesia. Coloque suas mãos no chão e diga:

Mãe Terra

“Mãe Terra, você que está abaixo dos nossos pés
E cresce a nossa volta se elevando acima de nós.
Mãe terra, nós lhe oferecemos este presente consagrado.
Aceitai nossa oferenda e ajudai-nos neste rito sagrado.”

Coloque sua oferenda num prato na frente dos caldeirões. Sugestão: maçã.

Aterrar a energia e unir-se ao bosque sagrado

“Somos um, em nosso bosque sagrado,
Acima da terra, dentro do mar e abaixo do céu.
Todos unidos, para emitir o chamado.
Honrando nossos antepassados,
Os espíritos da natureza
E os Deuses abençoados.
Em nosso bosque sagrado, somos todos um.”

Estabelecendo contato com o caldeirão do centro (o Céu)

“Acendo o fogo sagrado na sabedoria, no amor e no poder.
Fogo sagrado, que queima dentro de nós e em volta do nosso ser.”

Acenda a vela dentro do caldeirão e diga:

“Samhain é a Noite Sagrada que marca o início da parte escura do ano celta e representa o fim da colheita. Este ritual é dedicado à Morrighan, Dagda e Manannán Mac Lir.”

Em seguida anuncie o novo ciclo:

“Como o círculo que não tem fim, todo fim é um novo começo. Celebramos uma nova etapa que hoje se inicia, com a renovação do Ano Novo Celta.”

Estabelecendo contato com o caldeirão da esquerda (o Mar)

“Na profundidade da terra fluem as águas da sabedoria.
As águas sagradas que fluem dentro de nós, facilitando a nossa travessia.”

Coloque os dedos dentro da água e faça o símbolo da cruz celta ou outro símbolo celta na testa, em forma de bênção.

Estabelecendo contato com o caldeirão da direita (a Terra)

“Das profundezas às alturas, mede a árvore do mundo.
A árvore sagrada que cresce dentro de nós.
O fogo, a água e a terra sagrada.
A chama e o fluxo crescente.
No céu, na terra e no mar,
Abaixo e na elevação!
É assim que o Bosque Sagrado reivindica o Samhain.
Pela limpeza da água e do fogo,
Que a doença, a discórdia e a pobreza fiquem longe de nós.
Por Morrighan que nossas dores, preocupações e aflições
Possam ser agora queimadas, dentro do caldeirão.”

Jogue os papéis no caldeirão, com as folhas secas, queime tudo e diga:

"Pelo Grande Dagda peço que nossas vidas possam ser abençoadas com saúde, paz, amor e abundância, neste novo ciclo, que agora se inicia."

Pausa para meditação e para escrever uma lista de novos objetivos. Feito isso é hora de receber uma mensagem dos oráculos. Sugestão: runas ou ogham.

Abrindo as portas entre os mundos

“Estamos reunidos na beira do mar...
Preste atenção às névoas que chegam perto de nós.
As nove ondas rolando, onde a costa se encontra com o oceano
E a terra se encontra com o mar, o horizonte que nos leva ao céu.
Chamamos Manannán, para abrir as portas entre os mundos.
Damos-lhes boas-vindas, assim como um dia ele também nos dará.”

Faça uma oferenda à Manannán Mac Lir. Sugestão: taça de vinho. E diga:

“Este é o momento misterioso que não pertence nem ao passado, nem ao presente, nem a este mundo e nem ao outro. É o momento onde os portões dos mundos se abrem e o véu que os separa, se torna mais tênue.”

Honrando as Três Famílias - Deuses, antepassados e espíritos da natureza

Pelas bênçãos dos Deuses, dos antepassados, e dos espíritos da natureza, nesta noite sagrada de renascimento e diante das suas presenças em torno de nós, honraremos mais uma vez, aqueles que vieram antes de nós. Que a vida flua sempre rumo à nova vida!

Invocação aos Ancestrais

“Vocês que andaram nesta terra antes de nós,
Cujos corpos, mentes e espíritos
Deram forma aos nossos corpos, mentes e espíritos.
Vocês que andaram neste caminho antes de nós,
Cujas vidas têm feito a nossa vida possível.
Sejam três vezes abençoados... Slàinte!”

Faça uma oferenda aos antepassados. Sugestão: flores. E diga:

“Ouçam-nos, antepassados e ancestrais... Aos nossos avós e amados que já se foram, parentes de sangue e de coração. Sejam todos bem-vindos!”

Compartilhe uma comida que os antigos gostavam, conte ou escreva alguma história sobre os seus antepassados.

Agradecendo e fechando as portas - término do rito

Os Deuses abençoaram-nos com imensa alegria... É tempo de partir e retornar ao Outro Mundo. Agradecemos a presença daqueles que convidamos para estarem conosco neste ritual.

"Queridos antepassados, fiquem em paz!
Queridos espíritos da natureza, fiquem em paz!
Queridos Deuses: Morrighan, Dagda e Manannán, fiquem em paz!
Querida Mãe Terra, fique em paz!
Terminamos agora o que começamos.
Pelas bênçãos de Samhain, deixe o fogo ser água.
E a água ser terra, para que os portões sejam fechados.
Pela proteção dos Deuses, o ritual está finalizado."

(Ritual baseado nos princípios da Ordem Druídica ADF - Árn Draíocht Féin - A Druid)

Extraído do livro Brumas do Tempo - Todos os direitos reservados.

Celebrações: Festival de Samhain

Rowena Arnehoy Seneween ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com
E-mail:
rowena@templodeavalon.com

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Sugestão para celebrar o Solstício de Inverno Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Artigos do Site
Para o proveito daqueles que não estão familiarizados com o que fazemos na ordem ADF - Ár nDraíocht Féin, permitam-me explicar rapidamente nossa cosmologia e o que esperamos alcançar em nosso ritual.
O Ogham é um alfabeto oracular, de origem celta, encontrado na Irlanda e Grã-Bretanha. O nome das letras ogâmicas é "fid" (singular) e "feda" (plural) em irlandês antigo. No irlandês moderno são: "fiodh" e "feadha" - que são palavras traduzidas como "madeira" e "bosque".
A meditação é fundamental ao autoconhecimento, no aprofundamento do caminho druídico e no contato com o divino, para alcançarmos o equilíbrio físico, mental e espiritual.

Go raibh maith agat... Obrigado!