Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

Versão revisada 2020 ®
Informações: clique aqui.

Loja Virtual - Anam Mór ®
E-BOOK DO LIVRO

ADF
Grupo Filiado

Agradecimentos
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons


A Energia Lunar

Colunistas: Enviado em 25/04/2009 (4558 leituras)

A Lua sempre exerceu uma influência notável em nossas vidas, principalmente, nas mulheres que comungam intimamente com suas variações durante os períodos menstruais.

Os antigos sabiam muito bem disso e respeitavam esse poder feminino. As mulheres que tinham seus ciclos regulados com os ciclos lunares eram mais férteis na Lua Cheia e mais sábias na Lua Nova, pois se recolhiam em tendas para conectar-se com o Outro Mundo e fazer previsões para a tribo.

Nos dias atuais a menstruação ainda é vista como um tabu. Muitas mulheres se esquecem de ouvir seu chamado interior... Talvez pelo stress, vergonha ou falta de informação, acabam reprimindo esse dom natural e por conta disso sofram tanto com a tal TPM.

Quando ritualizamos esse processo entramos em contato com antigas forças ancestrais e assim equilibramos também o nosso interior. Além disso, suas fases podem ser observadas da maneira como descreve o escritor Alexei Kondratiev: "Cada lunação imita o padrão do ano, no seu período Crescente em Samos (verão), na Cheia com a sua plenitude gloriosa e logo na sua fase Minguante em Giamos (inverno), culminado na Nova com sua completa desaparição na obscuridade onde o seu ciclo começa de novo."

Podemos dividir os ciclos lunares, basicamente, em duas partes:

1ª- A Lua Crescente é o período que vai da Nova à Cheia, quando a Lua aumenta em luminosidade e expande sua energia.

2ª- A Lua Minguante, período entre a Cheia e a próxima Lua Nova, quando a Lua está decrescendo e recolhendo sua energia.


A fase Crescente é supostamente melhor para as atividades relacionadas a novos projetos, atividade física, cura e todas as questões ligadas ao plano material e a expansão.

A Lua Minguante é melhor para avaliar e completar o trabalho iniciado na primeira metade do ciclo anterior. Também pode ser usada para cortar e preparar a terra, o planejamento, o repouso, a reflexão e o banimento das energias desgastadas.

Muitos astrólogos acreditam que os melhores dias para se tomar decisões e programar novos projetos são imediatamente após a Lua Nova, mas não é recomendado o primeiro dia da Lua Nova, em vez disso, espere pelo menos 24 horas, ou seja, no segundo dia da lua. As atividades iniciadas nesta ocasião tendem a persistir por todo o ciclo. Este é um período ideal para enfrentar medos e romper padrões negativos, viajar e fazer divinações, além de facilitar o transe e a visão.

A Lua Cheia é espiritualmente poderosa e pode nos trazer uma grande percepção intuitiva da vida, se usada para meditação ou as atividades de cura, que nos conecta, ainda mais, à plenitude da luz e a lucidez. Tanto a Lua Nova quanto a Lua Cheia são excelentes para trabalhos xamânicos, meditativos de autoconhecimento e prosperidade.

Que assim seja!

Referência bibliográfica:
CUNNINGHAM, Donna - A lua na sua vida e as influências sobre as mulheres - Ed. Pensamento, 1999.
KONDRATIEV, Alexei - Rituales Celtas - Buenos Aires: Ed. Kier, 2001.

Rowena A. Senėwėen ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com

Para saber as referências bibliográficas e endereços de sites, usados para a pesquisa dos nossos textos e artigos, clique aqui. Leia, também, os artigos de Rowena A. Senėwėen.
Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon : Caer Siddi e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites consultados na pesquisa dos artigos, clique aqui.

"O mundo está repleto de coisas mágicas,
 esperando pacientemente o crescimento
da nitidez dos nossos sentidos."
Poema de W. B. Yeats

Go raibh maith agat... Obrigada!
Rowena A. Senėwėen