Céad mille fáilte!

CONSULTA DO ORÁCULO

Pesquisa
Menu Principal
LIVRO

BRUMAS DO TEMPO
Poesias, pensamento e ritos druídicos - livro na versão impresso ou e-book.
Vendas: clique aqui.
Links

Agradecimentos:
Aon Celtic Art
Licença Creative Commons

SmartSection is developed by The SmartFactory (http://www.smartfactory.ca), a division of INBOX Solutions (http://inboxinternational.com)

17° Dia: Ética

Publicado por Rowena em 11/3/2012 (1981 leituras)

A ética caminha junto com o bom senso, principalmente, no Druidismo, onde os princípios de verdade, honra e lealdade são vistos como deveres naturais da mais alta estima.

Nossa visão de mundo e nossas crenças estão centradas no respeito à natureza e aos seres viventes, numa total relação de amizade e igualdade para com todos os semelhantes. Parece até meio utópico, mas quando as almas se assemelham, naturalmente, há uma interação entre elas. O caminho druídico é o elo que nos une durante a jornada. Para os antigos, a ética estava centrada na busca de valores que visam o próprio bem-estar, bem como o da família e do clã.

"A amizade é sempre um ato de reconhecimento." Como bem disse John O'Donohue, no livro Anam Cara - O livro de sabedoria Celta, onde cita que Aristóteles (384 a.C. - 322 a.C.) dedicou várias páginas de suas reflexões à ética na amizade, considerando-a um desdobramento natural da moral para o convívio harmonioso do homem na sociedade.

A ordem druídica ADF, pela qual tenho grande admiração, se baseia na busca semântica de nove virtudes, que nos fazem refletir sobre a importância de se viver em conformidade com esses princípios. Os reconstrucionistas celtas também buscam inspiração nas "Nove Virtudes", que são: Verdade, Honra, Justiça, Lealdade, Coragem, Generosidade, Hospitalidade, Força e Perseverança.

Isso me faz lembrar do tempo em que dava aulas de Biodança, onde costumava dizer às alunas que tudo na vida se baseia no equilíbrio e, tanto a falta, como o excesso, são extremamente prejudiciais à saúde. É o cuidado que devemos ter na preservação de tudo o que amamos, incluindo nós mesmos, pois a ética está intimamente ligada ao carinho para com a vida e às ações para com os seus entes queridos, como dissemos anteriormente. Este equilíbrio está presente em cada uma dessas virtudes, que é associada as mais variadas formas de atividades do homem.

Por fim, em um mundo tão caótico no qual vivemos atualmente, resgatar esses princípios se torna essencial e até mesmo imprescindível para se viver melhor e plenamente feliz!

Honrando a Mãe Terra através das Nove Virtudes:

Mãe Terra, abençoai as sementes da esperança,
Para que a nossa adoração seja verdadeira,
Para que as nossas palavras tenham honra,
Para que as nossas ações sejam justas.

Mãe Terra, abençoai as sementes da esperança,
Para que a nossa dedicação seja leal,
Para que a nossa coragem seja constante,
Para que o nosso amor seja generoso.

Mãe Terra, abençoai as sementes da esperança,
Para que em nossos corações aja hospitalidade,
Para que o nosso caminhar seja sempre forte,
Para que o nosso viver seja firme e perseverante.

Mãe Terra, aceitai nossa eterna gratidão!



Rowena Arnehoy Seneween ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
www.brumasdotempo.blogspot.com
Três Reinos Celtas:
www.tresreinosceltas.blogspot.com
E-mail:
rowena@templodeavalon.com

Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo
0 Comentário(s)

Direitos Autorais

A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98. Todos os direitos reservados ao site Templo de Avalon e seus respectivos autores. Ao compartilhar um artigo, cite a fonte e o autor. Referências bibliográficas e endereços de sites, usados na pesquisa dos artigos, clique aqui.


Navegue pelos artigos
Artigo prévio 16° Dia: Poesia 18° Dia: Ciência e Filosofia Próximo artigo
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Artigos do Site
Para o proveito daqueles que não estão familiarizados com o que fazemos na ordem ADF - Ár nDraíocht Féin, permitam-me explicar rapidamente nossa cosmologia e o que esperamos alcançar em nosso ritual.
O Ogham é um alfabeto oracular, de origem celta, encontrado na Irlanda e Grã-Bretanha. O nome das letras ogâmicas é "fid" (singular) e "feda" (plural) em irlandês antigo. No irlandês moderno são: "fiodh" e "feadha" - que são palavras traduzidas como "madeira" e "bosque".
A meditação é fundamental ao autoconhecimento, no aprofundamento do caminho druídico e no contato com o divino, para alcançarmos o equilíbrio físico, mental e espiritual.

Go raibh maith agat... Obrigado!